Como Fazer uma Noite de Queijos e Vinhos

18/02/2019


Saiba Como Criar a Harmonia Perfeita:

 

Você gosta de recepcionar seus amigos? Ou quer impressionar o seu amor? Que tal surpreendê-los com uma noite especial de queijos e vinhos? E você não precisa ser um expert no assunto. Nesse artigo vou explicar tudo que você precisa saber.

Se você vai celebrar com amigos ou em casal, é importante ficar atento a alguns detalhes, como as quantidades por exemplo. Outro ponto muito importante é a combinação certa para harmonizar queijos e vinhos. E por último os acompanhamentos, que não podem faltar. Você deve estar pensando: é muita coisa para planejar. Mas relaxe. Abaixo explico mais sobre esses 3 pontos essenciais. Tenha uma noite de queijos e vinhos excelente!

 

QUANTIDADE - Ao realizar uma noite de queijos e vinhos, você serve também pães, frios, patês e caldos. Para que seus convidados fiquem satisfeitos, faça um cálculo base por pessoa. Esses são as quantidades mínimas, mas você pode aumentá-las se achar necessário.

  • 250 gr de queijo por pessoa;
  • 150 gr de pães por pessoa;
  • Para os vinhos calcule uma garrafa para cada duas pessoas no mínimo.
  • demais acompanhamentos à vontade.

Recomenda-se de 4 a 6 variedades de queijos e vinhos.

 

VARIEDADES

Cada categoria de vinho harmoniza com determinado tipo de queijo. Você pode escolher os vinhos primeiro, ou os queijos. Mas não se esqueça de ter sempre o par ideal para cada um. Conheça agora as características dos principais queijos e as sugestões La Vendimia de vinhos que vão criar uma perfeita harmonia de sabor e aroma.

 

Gorgonzola ou Roquefort - De origem italiana e francesa respectivamente, os dois têm características similares. Massa cremosa e esfarelenta, sabor acentuado e picante com aroma intenso.  Harmoniza com vinhos doces:

  • Lambrusco Villa Fabrizia: Vinho com aroma de frutas do bosque e toques florais. Na boca é doce, apresenta corpo médio, boa acidez e é agradável.

 

  • Lambrusco Villa Giada: Vinho vermelho rubi com espuma rosa. Apresenta aromas de frutas vermelhas e, em boca, é levemente adocicado, com taninos finos e corpo médio

 

Parmesão e Ementhal - Ambos possuem sabor suave e levemente adocicados e são de consistência média. O parmesão mais velho fica endurecido e pode ser ralado. Harmonizam com vinhos brancos, espumantes e vinhos tintos com pouco tanino.

Vinhos brancos:

  • La Recova Avid: Apresenta cor amarelo límpido, tendo um aroma de frutas brancas, maracujá, goiaba com notas minerais e cítricas.

 

  • Villa Fabrizia Frascati: Apresenta aromas de frutas frescas como abacaxi e toques florais. Em boca é seco, leve, equilibrado e refrescante.

 

Vinhos tintos:

  • Zentas Malbec: Vinho de aromas intensos de frutas vermelhas e pretas. No paladar é encorpado, altamente estruturado e concentrado, com taninos elegantes e persistentes.

 

  • Gran Lila: De estrutura média com taninos suaves e equilibrados, tendo aromas de frutas vermelhas, cerejas e amoras, com notas de madeira e uma acidez equilibrada ao final.

 

Brie e Canastra Meia Cura - O queijo Brie é considerado nobre e possui massa cremosa e sabor peculiar que lembra nozes. Já o queijo Canastra é patrimônio brasileiro, produzido a mais de 200 anos e de sabor picante e encorpado. Os dois queijos harmonizam muito bem com vinhos brancos, espumantes e vinhos tintos com pouco tanino.

Vinhos brancos:

 

  • Loios Branco: Vinho de cor palha, com aroma mineral com notas de lima. No paladar é seco, leve e com boa fruta.

 

Vinhos tintos:

 

  •  Girafa Urbana: Os aromas remetem a frutas vermelhas e ameixas, pimentas vermelhas e especiarias. Em nariz toques de chocolate com mocca terminando com um final longo e frutado.

 

  • Messias Douro: Se destacam notas de frutos secos e nuances de frutos pretos e azuis. Na boca revela-se muito fresco e com boa estrutura.

 

Espumantes:

  • Charlotte Brut: Aromas de flores brancas, frutas cítricas maduras, frutas cristalizadas e pão fresco.

 

  • Filipa Pato 3B: Apresenta aromas de framboesa, fermento de pão e toque tostado. Na boca é seco, frutado e possui acidez mineral.

 

ACOMPANHAMENTOS

Um acompanhamento que não pode faltar na sua noite de queijos e vinhos é o pão. Sirva várias opções, como baguete, pão italiano, integral, preto e até pão caseiro. Para os queijos mais cremosos as torradas são boas opções.

Uma tábua de frios é uma ótima pedida para deixar sua noite de queijos e vinhos mais saborosa. Você pode servir salame italiano, presunto Parma, lombinho canadense, entre outros.

Se o encontro for em uma época de mais frio, os caldos leves acompanham muito bem a noite de queijos e vinhos. Opte por caldo de legumes, frango com milho ou caldo verde.

 

Com essas dicas você pode montar uma noite deliciosa de queijos e vinhos e encantar seus convidados. E para escolher os vinhos conte com a La Vendimia para lhe ajudar.

 



Conheça as Taças Adequadas Para Cada Vinho

12/02/2019


CONHEÇA AS TAÇAS ADEQUADAS PARA CADA VINHO

Saiba que taça combina com cada variedade de vinho

 

 

Tanto para quem está iniciando no mundo dos vinhos, como para quem já é experiente, a escolha das taças pode ser um desafio. Neste artigo você vai saber quais os diferentes tipos de taças e para quais vinhos são mais adequadas.

É importante entender os motivos para que existam diferentes tipos de taças. Os formatos e tamanhos foram pesquisados e desenvolvidos para auxiliar a chegada do vinho à boca. Assim a taça ajuda a destacar o aroma e sabor de cada variedade. Hoje é possível encontrar no mercado especializado centenas de modelos para vinhos e espumantes. Mas o enófilo não precisa ter todas. Segundo especialistas com pelo menos 4 modelos você já vai estar bem preparado para apreciar um bom vinho. Confira:

 

VINHO TINTO - Você já deve ter ouvido que o vinho precisa respirar na taça. E isso é verdade, principalmente se tratando de vinho tinto. Ao girar a taça quebramos as moléculas do líquido, que entram em contato com o ar e liberam grandes concentrações de aromas. Lembre-se de encher a taça até um terço apenas, assim o vinho pode girar e liberar o aroma. Dois tipos são as mais indicadas.

Taça bordeaux - Essa taça tem como característica o bojo grande e a borda estreita. Isso faz dela a taça ideal para saborear vinhos encorpados como o Cabernet Sauvignon. O bojo grande permite o contato com o ar e a borda estreita minimiza a dispersão do aroma.

Taça Borgonha - Com bojo grande e de boca mais larga permite a entrada do ar, liberando o buquê mais rápido. A taça borgonha é indicada para vinhos de aromas complexos e concentrados como o pinot noir.

Sugestão: Separe a sua taça bordeaux para saborear um Viu Manent ou Nederburg Winemaster. Para degustar um vinho pinot noir como o Trapi Del Bueno escolha a taça borgonha e aproveite.

 

VINHO BRANCO - O vinho branco deve ser consumido em temperaturas mais baixas do que o tinto. Por esse motivo a taça é menor, evitando troca de calor com o ambiente. Outra diferença é o formato. A boca estreita permite que o vinho chegue por igual às áreas que sentem o doce e a acidez na língua. Assim as notas de frutas, tão característica dos vinhos brancos, são realçadas.

Sugestão: Tenha uma taça pequena e estreita para degustar um Marquês de Borba ou um Messias Barrada.

 

ESPUMANTE - A taça recomendada é a flûte, ou flauta, nome dado devido ao seu formato alongado e estreito. Seu desenho é pensado para que as borbulhas sejam apreciadas. Outro motivo é que a boca estreita controla o fluxo acima da língua, permitindo a apreciação do equilíbrio entre a acidez e a profundidade.

Sugestão: Prepare sua taça flauta para saborear um Charlotte Brut Branco ou então um Lambrusco Villa Fabrizia. Saúde!

 

Duas últimas dicas sobre taças. Lave-as muito bem com água morna e pouco detergente. E enxágue bem para não haver interferência no sabor, aroma e aspecto do vinho. Sempre  guarde-as em local livre de odores.

E quando for saborear um bom vinho, lembre-se de segurar a taça pela haste. Ela existe para que o calor de nossa mão não afete o vinho e para não deixarmos marcas de dedos no bojo.

 



Quais as Regiões Vinícolas da Espanha

21/03/2018


 

Ah, os vinhos espanhóis! Alguns tintos envelhecidos (Crianza, Reserva e Gran Reserva), particularmente os Marqueses (Marqués de Riscal, Marqués de Arienzo, Marqués de Murrieta, etc) são muito conhecidos e, juntamente com outros vinhos da Rioja pertencem à elite dos vinhos espanhóis.Localizada no norte da Espanha, compreende a região do vale do rio Ebro, entre as cidades de Haro, a oeste, Logroño, no centro e Altaro, a leste, e está próxima de Vitoria, a capital do País Basco.

Com solo pouco comum - denominado licorella - e baixo índice pluviométrico, as videiras têm baixa produção, com frutas muito concentradas, característica que se reflete nos vinhos, que costumam apresentar coloração tinta profunda, com taninos muito finos e ótima textura, além de fruta exuberante e suculenta acompanhada por gostosa acidez e muita elegância.

Com 62 regiões vinícolas registradas, a Espanha pode ser dividia em 6 macro-regiões: Noroeste, que abrange as regiões de Rías Baixas e Bierzo que sofrem a influência mediterrânea originando vinhos mais ácidos e frescos; Vale do Rio Duero, que abriga regiões de prestígio mundial, como Ribera del Duero, Toro e Rueda; Rio Ebro, onde localiza-se a região que dá vida aos mais conhecidos vinhos espanhóis: Rioja; Costa Mediterrânea, lugar onde situa-se Priorato, Montsant, Penedès e Jumilla; Meseta Central, vasta extensão próxima à Madrid que suporta clima continental mais extremo; e Andaluzia, conhecida pela produção do gentleman espanhol: Jerez.

Se as últimas décadas do século XIX foram ponto de partida da moderna historia dos vinhos de Rioja, graças ao nascimento de uma incipiente industria bodeguera e ao aperfeiçoamento das técnicas de elaboração, a década premiada com a mítica colheita de 1970 significaria uma autêntica revolução das estruturas produtivas e comercializadoras, que conduziria os vinhos de Rioja a sua indiscutivel liderança entre os vinhos de qualidade espanhois.

Desde a década de 1990, porém, a indústria vitivinícola espanhola tem passado por profundas transformações - maiores do que todas as ocorridas nos séculos anteriores - e considerável processo de modernização, que não se limitou apenas ao campo, mas também incluiu toda a regulamentação do setor e hoje país é berço de alguns dos mais prestigiosos vinhos do mundo.

 



Cadastre-se em nossa newsletter



Venda de Vinhos online
Venda de Vinhos online Venda de Vinhos online Venda de Vinhos online
Venda+de+Vinhos+online Venda de vinhos online