Um Momento Mágico: A Importância Da Colheita Da Uva

24/03/2019


Saiba porque a vindima é um momento tão especial

 

      O nome escolhido para batizar nossa empresa tem um forte significado. La Vendimia significa colheita ou ato de colher em espanhol. Quando você estiver degustando um bom vinho, lembre-se que um dos pontos mais importantes do processo para se criar a bebida, é a colheita. Nesse artigo você vai entender porque essa etapa é tão relevante para a qualidade do vinho.

       A trajetória que a uva faz da parreira até a taça, é marcado por vários passos decisivos, que vão impactar na qualidade do vinho. A colheita se destaca por ser tradicionalmente um momento de celebração. É o momento de comemorar os meses de trabalho dedicado aos vinhedos. Simbolicamente a colheita é muito forte. Em países produtores de vinho como Espanha, Itália, Portugal, Alemanha, Argentina, Chile, entre outros as festas de vindima são grandes celebrações. Mas existem outros fatores que fazem a colheita ser tão importante.

       As uvas precisam estar no ponto correto de maturação para serem colhidas. Existe um ponto ideal em que a uva atinge os níveis de açúcares e ácidos adequados para a perfeita elaboração do vinho. Os bons produtores checam esses níveis periodicamente para saber a hora certa da colheita. Fatores climáticos e de solo podem interferir no processo, por isso é preciso estar muito atento. Conhecer bem o ciclo de vida da videira também é necessário. No outono as parreiras perdem suas folhas e  no inverno podem parecer mortas, mas estão em um processo chamado repouso hibernal. Ao chegar a primavera, é o momento do crescimento vegetativo, com a brotação, ramificação,  floração e frutificação. E então chega o verão e com ele o momento tão esperado pelo produtor: a colheita. As uvas estão maduras e estão em perfeitas condições para se transformarem em ótimos vinhos. Do início ao fim da colheita podem passar de dois a três meses. Tudo vai depender de fatores climáticos, o desenvolvimento das uvas, e de critérios definidos pelos produtores.

       Para amantes do vinho a colheita é um momento mágico. Inclusive algumas vinícolas hoje aproveitam este momento para receber turistas. Os visitantes podem caminhar entre as parreiras, sentir seus aromas e é degustar as uvas colhidas direto da videira. Viticultores, enólogos e adoradores do vinho comemoram a colheita em todo o mundo. A experiência de se ver um parreiral repleto de frutos maduros é emocionante.

     Com cada nova vindima, vem a oportunidade da criação de novos vinhos e espumantes. A renovação anual da parreira nos brinda com seus frutos, a celebração de muito trabalho e dedicação. A natureza mostra toda sua generosidade. E a grande recompensa final é o vinho exclusivo que cada vindima proporciona, pois um vinho nunca é igual ao outro assim como cada colheita traz uvas diferentes.

      Para todos os apreciadores do vinho proponho um brinde em honra da vindima. Que todo os anos ela continue a ser o momento maravilhoso de nascimento e celebração. Saúde!

 

Para o brinde temos algumas sugestões:

Corbelli Montepulciano - Vinho tinto da região de Abruzzo na Itália. Possui aromas florais de violeta e rosa e notas de especiarias podem ser sentidos pelo olfato. Em boca é um vinho robusto e com aromas que lembram alcatrão. Harmoniza com carnes vermelhas grelhadas, massa à bolonhesa ou queijos maturados, como Gruyère, Estepe, Provolone e Parmesão.

 

Antares - Originário de Valle Central no Chile. Amadurecido por 9 meses em barris de carvalho. Vinho com aroma de frutas vermelhas, como cerejas e framboesas, com notas delicadas de canela e cacau. Em boca, é redondo com taninos macios.

 

Monsaraz Doc - Vinho português produzido na região do Alentejo. De cor rubi com aroma de frutas vermelhas maduras, como amoras e groselhas, e baunilha. Em boca, seco, possui corpo médio, é macio e redondo. Harmoniza muito bem com carnes vermelhas grelhadas ou assadas.

 

Nuestro Roble - Vinho tinto produzido em Ribera Del Duero na Espanha. Elaborado com a Tempranillo (Tinta del País), de vinhas localizadas a 910 metros de altitude, com vinhedos de, em média, 20 anos. Apresenta aromas intensos de frutas vermelhas, ervas e um toque tostado. Em boca, prevalecem as frutas e os toques minerais. Amadurece por 6 meses em barricas de carvalho americano e francês e posteriormente permanece 6 meses em adega antes da comercialização.

 



Vinho, Quanto Mais Velho Melhor

08/03/2019


Saiba tudo sobre esse assunto polêmico

 

 

Provavelmente você já deve ter ouvido ou lido em algum lugar que vinho quanto mais velho melhor. Ou que determinada coisa ou pessoa ficou melhor com a idade, assim como o vinho. Esses ditos acabaram entrando no imaginário popular e até mesmo apreciadores de vinho costumam repetir essas afirmações. Porém é totalmente verdade que o vinho quanto mais velho é melhor? Seria um mito, ou tem algum fundo de verdade? Continue a leitura e você vai saber.

Existe até uma passagem na Bíblia que cita que o vinho velho é melhor do que o novo. Então esse assunto já é bem antigo e enraizado na cultura popular. Mas existe um motivo para isso. Muitos séculos atrás, a produção de vinho não dispunha das técnicas de hoje. Era verdade que um vinho mais velho ganhava em suavidade, comparado com um mais novo. A verdade é que hoje os vinhos são produzidos de forma a poderem ser consumidos de imediato. Mas o momento certo de degustar o vinho, tem muito de gosto pessoal. Saborear um bom vinho envolve vários fatores, até mesmo culturais. Por exemplo, os ingleses preferem beber os vinhos mais velhos do que os norte-americanos.

Mas existe algum acréscimo de qualidade em um vinho envelhecido? Mesmo entre especialistas, não há consenso sobre o assunto. Porém é notável que os processos químicos que ocorrem no vinho, continuam mesmo depois do líquido ser engarrafado. A concentração de álcool, ácidos, ésteres e água muda com o tempo. Alguns citam que os vinhos tintos ficam menos adstringentes. Portanto mais suaves ao paladar, em comparação com um vinho tinto jovem. Os vinhos tintos também ganham camadas secundárias e terciárias de aroma. Até mesmo a cor pode evoluir de um violeta profundo para um vermelho-tijolo. Enfim, você pode gostar de um vinho jovem ou mais velho, mas o fato é que com o tempo ele muda.

Os vinhos brancos também passam por uma transformação. Devido ao processo de oxidação, a sua coloração pode escurecer um pouco. No nariz e na boca, o vinho branco envelhecido assume ares mais suaves e evoluídos. Também pode agregar sabores de mel, frutos secos, baunilha, manteiga, entre outros, dependendo das castas usadas em sua elaboração. A verdade é que com a tecnologia atual o vinho pode ser apreciado com dois, dez, vinte ou mais anos engarrafado. Porém pode ser um trabalho duro de paciência. Mas se você está disposto a esperar, para degustar um vinho com outras características, a La Vendimia tem algumas sugestões que ficaram muito saborosos após alguns anos em sua adega.

 

Vinhos tintos

Quinta do Valdoeiro Reserva Doc - Vinho português com aromas complexos de frutos do bosque, lembrando mirtilos. Tem um grande potencial de guarda.

Neto Senetiner Gran Reserva Malbec/Petit Verdot - Vinho argentino, seco ao paladar, que pode suavizar após envelhecido.

Vibo Punta Del Viento - Vinho chileno de muita personalidade. Experimente um novo e guarda outro para comparar.

Château Reynon - Vinho francês com sabor bem pronunciado. Grande potencial após guarda.

 

Vinho branco

Mârques de Borba - Vinho português de cor palha esverdeado, ganha em aroma, sabor e coloração após guarda.

Quinta do Valdodeiro Chardonnay - Vinho português, de perfil intenso com notas exóticas. Pode ganhar em complexidade com o tempo.

 



Saiba Tudo Sobre a Cabernet Sauvignon

25/02/2019


Conhecida como a Rainha das Uvas Tintas.

 

Todos os dias nas redondezas de Bordeaux, Cédric se levanta, abre a janela e olha para uma enorme videira que se estende até onde sua vista alcança. Ele não consegue deixar de sorrir, ao pensar que as uvas Cabernet Sauvignon que se originaram daquelas terras, hoje são as mais famosas do mundo. Cédric sabe que todo apreciador de vinho, assim como ele, já degustou um Cabernet Sauvignon e isso lhe deixa muito satisfeito.

Saiba agora mais sobre a Cabernet Sauvignon e o motivo de ser tão popular e difundida no mundo todo.

Umas das características dessa uva é sua casca mais grossa, comparada a outras uvas viníferas. A espessura maior da casca protege o fruto das variações climáticas. Por esse motivo a Cabernet Sauvignon se adapta em várias partes do planeta.

A casca também é rica em tanino. A presença de uma maior concentração de tanino proporciona aos vinhos tintos sua adstringência. Porém tanino em excesso pode ser um problema. Assim os enólogos preferem a colheita tardia, permitindo a uva seu máximo desenvolvimento e deixando os taninos mais equilibrados.

Mas o fato de ser uma uva que se adapta a diversos climas, lhe confere características próprias do local de cultivo. Por isso diferentes terroirs produzem vinhos diferentes. O terroir é uma mistura de fatores, como o tipo de solo, a fauna e a flora e o microclima da região. Tudo isso faz a uva ter uma identidade única.

Vinhos produzidos com Cabernet Sauvignon cultivada em locais quentes como no sul da Espanha e Itália, na África do Sul, Austrália ou na Califórnia, possuem a característica de serem mais concentrados e alcoólicos. Quando sua origem provém de locais mais frios, como no norte da França, algumas regiões do Chile e da Argentina, o vinho Cabernet Sauvignon é menos encorpado e tem aroma de frutas vermelhas. Portanto provar um vinho produzido em diferentes terroirs faz toda a diferença.

Essa versatilidade no cultivo da uva Cabernet Sauvignon lhe tornou popular em todo o mundo e os vinhos produzidos com ela são apreciados em todos os cantos. Esse é um dos motivos da Cabernet Sauvignon ser conhecida como a “Rainha das Uvas Tintas”.

O outro motivo é que o vinho desta uva harmoniza muito bem com diversos tipos de carnes, queijos e massas. Para pratos mais gordurosos, feitos com carne de porco ou carneiro, a melhor escolha é um vinho jovem, com os taninos mais acentuados. Sua adstringência “limpa” o paladar, fazendo com que cada nova garfada seja uma experiência única. Vinhos com uvas de vindima tardia são mais suaves e combinam com carnes assadas em geral e molhos a base de manteiga ou molho branco.

A uva Cabernet Sauvignon é uma das mais importantes do mundo, por sua fácil adaptação a diversos tipos de clima e por produzir vinhos reconhecidos por sua qualidade e fácil harmonização. Por isso nada mais justo do que encerrar esse texto lhe dando algumas dicas de bons vinhos Cabernet Sauvignon. Um brinde à Rainhas das Uvas Tintas.

  • Nederburg Winemaster’s: Vinho de cor vermelho rubi, tem aroma de frutas negras e toques de baunilha. Originário da África do Sul, é encorpado, com taninos finos. Harmoniza muito bem com strogonoff, ensopados de carnes, roastbeef e queijos maduros.
  • Emilia Nieto Senetiner: Vinho vermelho rubi com aromas de frutas vermelhas maduras com notas de pimenta branca. Possui equilíbrio entre acidez e taninos. Harmoniza com carnes vermelhas, massas com molhos leves, frango e queijos meia cura.
  • Gran Lila: De coloração vermelho rubi intenso e brilhante. Tem taninos suaves e aroma de frutas vermelhas, cerejas e amoras, com notas de madeira e uma acidez equilibrada ao final. Harmoniza com carnes vermelhas e pastas.

 



Cadastre-se em nossa newsletter



Venda de Vinhos online
Venda de Vinhos online Venda de Vinhos online Venda de Vinhos online
Venda+de+Vinhos+online Venda de vinhos online